banner desktop
banner mobile

Central de Dúvidas

16 a 18ºC ➜ Tintos médio corpo/encorpados
14 a 16ºC ➜ Tintos leves
12 a 18ºC ➜ Fortificados
8 a 12ºC ➜ Rosés
8 a 12ºC ➜ Brancos encorpados
7 a 9ºC ➜ Brancos leves
6 a 8ºC ➜ Espumantes

Uma garrafa deixada aproximadamente por 8 minutos na água com gelo sofrerá uma redução de 5º C em sua temperatura, o que corresponde a 60 minutos de permanência na geladeira!

Sempre pela haste ou pela base. Se você segurar na parte “bojuda”, como faz com o conhaque, por exemplo, esquentará o vinho, além de dificultar o brinde.

Não. Além ser deselegante, dificulta a hora de girar a taça para sentir os aromas do vinho. O ideal é servir um pouco menos da metade da taça, exceto no caso de espumantes. Lembre-se: menos é mais também na hora de servir.

O ideal é servir novamente apenas quando todo o vinho da taça for consumido. Isso porque o vinho na taça começa a esquentar e também a “abrir” seus aromas e sabores. Tente evitar principalmente com espumantes, brancos e rosé.

Quando suas características não se sobrepõem umas às outras, ou seja, tudo está em harmonia. Se o vinho estiver desequilibrado fatalmente o álcool, os taninos ou a acidez irá se destacar demais e ocultar suas outras características.

➜ Em relação ao formato, utilize o que for de sua preferência, prático para manusear e lavar.
➜ Quando for colocar o líquido no decanter, tente fazer com que todo o vinho se espalhe por ele, para a aeração ser homogênea.
➜ Você pode aerar qualquer vinho, exceto brancos e tintos leves ou espumantes; quanto mais encorpado, mais tempo na aeração.

Não tente abrir pela parte superior da rolha, mas gire a parte que fica no “pescoço” da garrafa e será muito mais fácil ;)

Na nossa opinião, é o chamado “de alavanca” ou “amigo do garçom”. Ele é prático, fácil de carregar no bolso e excelente para abrir rapidamente uma garrafa. É composto de uma base reta ou levemente curvada com três ferramentas retráteis:

1. Uma alavanca
2. Dois estágios
3. Uma pequena faca tipo canivete, excelente para retirar a cápsula.

O mais importante para a conservação do vinho é mantê-lo longe da luz e de locais com oscilação de temperatura, ou seja, é melhor evitar guardá-los na cozinha. O ideal é deixá-los deitados (não é necessário se a garrafa for vedada com tampa de rosca), em local escuro e com temperatura amena.

1. Para gelar um champanhe ou espumante que estava fora da geladeira, em meia hora, basta colocá-lo em um balde com água gelada e pedras de gelo – não precisa nem sal, nem álcool.

2. Geralmente a taça e o vinho estão em temperatura diferentes, então sirva dois dedinhos em cada taça para que o copo comece a gelar e, em seguida, complete com o líquido até a altura desejada.

3. Tente não espumar demais a bebida, pois quando ela perde gás, perde qualidade.

4. Na dúvida, sempre sirva o vinho um pouco mais gelado do que você acha ideal.

Um espumante brut geralmente tem capacidade de escoltar uma refeição inteira, da entrada ao prato principal. Isso porque a característica marcante destes vinhos é a acidez, que limpa o palato para a próxima garfada.

O 3B da Filipa Pato, por exemplo, combina com saladas, queijos, carpaccio, sushi e sashimi, frituras como bolinho de bacalhau e até mesmo leitão assado.

Você precisa saber o significado das palavras abaixo, que ficam geralmente no rótulo do produto, para saber a quantidade de açúcar que elas significam:

NATURE ➜ Até 3 gramas/litro
EXTRABRUT ➜ Até 6 gramas/litro
BRUT ➜ De 6 a 15 gramas/litro
SECO ➜ De 15 a 20 gramas/litro
DEMI-SEC ➜ De 20 a 60 gramas/litro
DOCE ➜ Acima de 60 gramas/litro

Dados do Ibravin - Instituto Brasileiro do Vinho